Samba, rap, baião, soul, jazz, afro-beat, pop, funk, rock, entre outras levadas. Sempre há espaço para novas experimentações no caldeirão de harmonias do cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor Max de Castro. O que ele faz? Música brasileira.

Este carioca, quase paulistano, interessou-se por música ainda na infância e foi incentivado por seu pai, o genial Wilson Simonal. Na adolescência formou sua primeira banda, Confraria, e no final da década de 1990 participou do projeto Artistas Reunidos ao lado de seu irmão Wilson Simoninha, Jair Oliveira, Luciana Mello, Daniel Carlomagno e Pedro Mariano. Este projeto rendeu um disco e apresentações em festivais internacionais de música.

Em 2000 Max de Castro lançou seu primeiro álbum solo, Samba Raro, festejado pela crítica especializada e por artistas já consagrados como Jorge Ben Jor e Ed Motta. O disco, produzido, tocado e arranjado apenas por ele, apresentava uma mistura moderna de música eletrônica, soul, samba e bossa nova e lhe rendeu o prêmio de Artista Revelação da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA.
Neste mesmo ano Max foi considerado pela revista Time - uma das publicações mais respeitadas do mundo - como "O talento musical mais original surgido no Brasil nas últimas três décadas".

Após a boa repercussão internacional de seu trabalho Max tem tocado regularmente fora do país.
No ano seguinte Max produziu músicas para Frejat, Paula Lima, Kid Abelha, Leandro Lehart e Tom Zé, e criou remixes para Ed Motta, Fernanda Porto e Wax Poetic.

Orchestra Klaxon, seu segundo álbum, foi lançado em 2002. Este disco trazia uma mistura harmônica de estilos, mas não se repetia: nenhuma música era similar as do CD Samba Raro e desta vez ele não o fez o disco sozinho, contou com uma série de convidados e parceiros como Erasmo Carlos, Marcelo Yuka, Nelson Motta, Fred Zero Quatro, Seu Jorge, Liminha, entre outros.

Em 2005 lançou “Max de Castro”, seu terceiro álbum, e foi eleito pela Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA - como o Artista do Ano. Este disco contou com participações de Lulu Santos, Nelson Motta, Naná Vasconcelos e Trio Mocotó.

Ainda neste ano ele também trabalhou com o DJ Suv, do aclamado grupo inglês Roni Size Reprazent, e lançou, exclusivamente na Inglaterra, um single com a música Febrery. Na França lançou um EP com o DJ Kid Loco.

Em Balanço das Horas, lançado em 2006, Max inova mais uma vez. Este disco não tem nada em comum com os anteriores, a começar pelo fato de ter um tema, todas as canções têm um assunto comum: o tempo. Além disso, ele decidiu gravar com uma banda fixa. A mescla de pop, samba, hip hop, jazz, post-rock, dub, batidas eletrônicas, efeitos e distorções levou este álbum a ser considerado um dos melhores lançamentos daquele ano.

Em 2008,além de ter produzido o disco Melhor de Wilson Simoninha, Max de Castro se dedicou à concepção e direção de shows especiais como Os Afrosambas - tributo ao álbum homônimo de Baden e Vinícius. As canções deste disco foram reinterpretadas ao lado da cantora Fabiana Cozza. Ele assinou também a direção de As curvas da estrada de Santos - uma viagem pela obra de Roberto Carlos que contou com a participação de Zé Renato, Vânia Abreu, Bruno Morais e Pedro Mariano.

Em dezembro deste mesmo ano e no primeiro semestre de 2009 Max e o músico cubano Yaniel Matos apresentaram um irresistível mix de ritmos latinos em alguns palcos de São Paulo e Brasília. No repertório do show clássicos das músicas cubana e brasileira além de duas canções inéditas.

Em agosto de 2009, ao lado de Wilson Simoninha, Max concebeu e comandou o show Baile do Simonal que reuniu, em torno do cancioneiro de seu pai, cantores como Caetano Veloso, ED Motta, Seu Jorge, Maria Rita, Samuel Rosa, entre outros. Esta apresentação aconteceu no Rio de Janeiro, foi gravada e resultou em DVD/CD lançado em Novembro pela EMI.

Em 2010 Max de Castro e Wilson Simoninha estão em turnê com o show Baile do Simonal que é sucesso de público e crítica. Em Fevereiro eles estiveram no Morro da Urca, no dia 19, e contaram com participações de Sandra de Sá e Banda Moinho. No dia 27 deste mesmo mês eles se apresentaram no Citibank Hall em São Paulo. A apresentação teve lotação esgotada e participações de Ed Motta, Jair Rodrigues, Fernanda Abreu e Marcelo D2.

Atualmente Max esta finalizando a trilha sonora do filme “ 400 contra 1” dirigido por Caco Souza, prepara seu novo disco e apresenta ao lado dos jornalistas José Flávio Jr e Paulo Terron o programa “Qualquer coisa” veiculado pela Oi FM às segundas feiras das 22h às 23h.

Wilson Simoninha:          Max de Castro:
Contato para Shows: Tel: + 55 11 3068-9737 | 3081-1841 | shows@sdesamba.com.br
^ Subir